quinta-feira, 23 de abril de 2015

PROPOSTA CURRICULAR


ESTADO DE SANTA CATARINA – SECRETARIA DE ESTADO DA EDUÇÃO E INOVAÇÃO
ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA ALBERICO AZEVEDO
DEC. DE CRIAÇÃO Nº 7578 DE 16.05.1979 – PARECER Nº 83/79 DE 10.04.79
SÃO MIGUEL DO OESTE – F ONE/FAX 0XX496226564
RUA TIRADENTES, 989 – BAIRRO SÃO JORGE




 


Adriane Simon - Arceli Folmer - Bernardete Triches - Caroline Roman - Danieli Lopes - Dilce Franzen - Dirce Pinzetta - Elisabete R.da Silva -  Evandro Lorenzet - Katia Dill - Lucia da Costa - Marilva Giacomel i-  Mohammadie Wesendonck.- Tatiane dos Santos -  Venderlei José Rosa - Vera Panizzon.


ESTUDO DA PROPOSTA CURRICULAR DE SANTA CATARINA
EDUCAÇÃO BÁSICA E FORMAÇÃO INTEGRAL

         A tempos se vem focando na formação Integral  e está tem assumido papel cada vez mais central no debate sobre os pressupostos e finalidades da Educação Básica no Brasil. A Proposta Curricular de Santa Catarina propõe a Educação Básica em tempo Integral. O ensino voltado a transdisciplinariedade, desenvolvendo projetos voltados à realidade social, política, econômica e cultural de cada educando, como concepção de formação e como projeto educacional, ela forma parte da histórica luta pela emancipação humana. Quanto mais integral a formação dos sujeitos, maiores são as possibilidades de criação e transformação da sociedade. As propostas pedagógicas das escolas, organizadas na perspectiva da Educação Integral, devem considerar a possibilidade concreta de ultrapassar as fronteiras do conhecimento e dos saberes.
         Partindo do processo histórico, atualmente as escolas não oferecem estruturas físicas e materiais para disponibilizar o ensino integral. Para atender as exigências crescentes, a ampliação e multiplicidade de temas considerados socialmente importantes, torna cada vez mais difícil delimitar as possibilidades do trabalho educativo escolar e contemplar equilibradamente as demandas na seleção e composição do currículo da escola básica. Nas propostas curriculares mais recentes de estados e municípios, orientações gerais de âmbito federal se fazem presentes e evidenciam tanto essas questões relativas a novas demandas originadas do plano econômico, quanto à compreensão das atuais políticas curriculares sobre formação humana e sobre o trabalho esperado das escolas. A discussão do fator tempo liga-se mais frequentemente à organização do trabalho escolar, exceto em algumas propostas de organização do ensino em ciclos, nas quais o tempo se relaciona mais claramente com a formação dos alunos e consequentemente com a composição e desenvolvimento do currículo.
       Evidenciam-se algumas pistas sobre o que pode significar a escola de tempo integral: uma busca por melhorar o rendimento dos alunos, trabalhando com tempos estendidos e métodos inovadores. Segundo a Proposta Curricular de Santa Catarina o aluno deve estar preparado para a qualidade profissional e acadêmica.  Porém não se discute a estrutura e organização da escola e tampouco o conhecimento que nela circula: questiona-se o tempo destinado a fazer o que já se vem fazendo o "tradicional", considerado um entrave e que podem ser responsabilizados pela ineficiência desta instituição. Porém, ainda é preciso discutir mais detidamente o que a escola disponibiliza como conhecimento legítimo a ser apreendido.
       Ao falar de uma educação que é global e permanente, é assumida a necessidade de ultrapassar os limites das instituições escolares, na qual todos os espaços, tempos e saberes são encarados como potencialmente educativos, ultrapassando o espaço e o tempo escolar como ambientes formativos.
      Os currículos organizados podem constituir significativa estratégia de superação de processos pedagógicos fragmentários que tendem a tornar o percurso formativo um acúmulo de etapas e fases. A formação integral nas áreas de Linguagens, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Matemática devem se inter-relacionar permanentemente no fazer cotidiano da escola, embora mantenham sua singularidade. Entende-se que é por meio da apropriação dos diferentes elementos da cultura que cada indivíduo desenvolve suas capacidades.

      O processo de aprendizagem necessita oferecer aos sujeitos um amplo leque de vivências e de atividades ao longo de todo o percurso formativo, haja visto que a realização de uma dada atividade não promove o desenvolvimento de todas as capacidades humanas; assim, importa que a escola promova atividades relacionadas a diferentes áreas do conhecimento, bem como a valores éticos, estéticos e políticos. É fundamental garantir na escola a compreensão, por parte do sujeito, da importância de ter assegurado o seu percurso formativo na integralidade, em idade adequada, e sua formação integral por meio do desenvolvimento pleno, evitando-se com isto a migração de estudantes para exames de certificação.
A Proposta Curricular é ideal, porem é um caminhar lento e continuo possível de almejar um processo que anda em passos curtos para num futuro alcançar a qualidade desejada por todos.

Referencia

Educação Básica e Formação Integral (pág. 17 a 49 da Proposta Curricular de santa Catarina-PCSC).

quinta-feira, 16 de abril de 2015

TERCEIRÃO 2015 E GRÊMIO ESTUDANTIL

  A Escola de Educação Básica Alberico Azevedo parabeniza e agradece todo o empenho, colaboração e dedicação dos alunos do Terceirão 2015 e Grêmio estudantil.
   Valeu Galera!!






REUNIÃO PEDAGÓGICA

   A Escola de Educação Básica Alberico Azevedo realizou no dia 13 de Abril a Reunião Pedagógica.
   Nesta Reunião foram abordados assuntos gerais entre eles avaliação dos trabalhos realizados até o presente momento, da nova Proposta Curricular de Santa Catarina e planejamento de atividades para o PARAJASC. 
    Foi um dia de muito trabalho e aproveitamento. 










segunda-feira, 6 de abril de 2015

AGRADECIMENTO

 Parabenizamos e agradecemos aos nossos atletas que representaram a Escola no JESC e é com grande alegria que apresentamos os classificados:
            
             FASE MICRORREGIONAL 2015: 12-15 ANOS.

MOLEQUE BOM DE BOLA

Luiz Eduardo de Souza Mourinho
João Votor Paulo Paulo Marins
Richard Rathamumm
Luiz Henrique Giacomelli
Jean Peruzzo
Lucas Gabriel Marins
Gean Bruno dos Santos
Cassiano Balke
Lukas Henrique
Kelvin Eduardo Bertol
Eduardo Lazarotto Paini
Tiago Giovenardi
Gustavo de Carli
Henrique Breno Landi
William Dororigon
Vinicius n. da Silva
Igor Gabriel Loeh
Rodrigo Hilleshein
Fernandes Camargo
Pedro Lucas

JUDÔ FEMININO

Camila
 Maria
 Cássia.

MAIS EDUCAÇÃO NA CELEBRAÇÃO

   Alunos do Programa Mais Educação, juntamente com a Professora Kátia Diana Dill e a Coordenadora Simoni Bergamini apresentando a peça teatral "Por que eu vivo, vocês também viverão", na Celebração de Páscoa.





          

CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA

         Comemoramos a Páscoa em grande estilo, com peças teatrais, jograis, música, a presença dos Pastores Felipe e Erno, assim como a participação dos professores e alunos.